terça-feira, 24 de abril de 2012

atividades e projetos sobre bulling


ATIVIDADES DESENVOLVIDAS


MÊS
VALOR
ATIVIDADES DESENVOLVIDAS
Março
Respeito
Cada aluno receberá frases para comentar e exemplificar com o intuito de repensar e retomar suas atitudes e perceber que pequenas atitudes fazem a diferença.
Abril
Responsabilidade
Cada turma receberá um kit com quebra-cabeças de corações para serem compostos em grupo, reconhecendo, assim, que temos necessidades dos outros. O texto “Cavaleiro do amor”, de Sílvia Schimidt, deverá ser lido e discutido no momento.
Maio
Liberdade
A partir do texto: “Aquilo” de Ricardo Azevedo, os alunos o representaram por imagens ou palavras o que entenderam e como transformar “aquilo” para o que vivem no dia-a-dia.
Junho
Solidariedade
Será proposto que cada turma determine uma ação que reflita sobre um ponto crítico do bairro, de forma que, foram feitas doações de alimentos e vestuários, visitas às famílias, divulgação de campanhas, abaixo-assinados reivindicando melhorias...
Julho
Amizade
Aos alunos será feita a leitura do texto: “Problemas do mundo” e, reunidos por turma com seu conselheiro, registraram em uma “Ata de compromisso” o que cada um poderá fazer para consertar espaços e condutas inadequadas na escola.
Agosto
Paz
Divulgação do projeto “Cultive a paz... Diga não ao Bullying”, por meio de oficina com os pais (e parcerias), construção de cartilha informativa. Teatro " A Branca de  Neve e os sete anões"
Setembro
Justiça
As turmas escolhem atividades, dinâmicas, músicas, poesias, referentes ao tema,  para presentear uma outra turma da escola.
Outubro
União
 Exposição de trabalhos coletivos na Multifeira ( UCS )
Novembro
Honestidade
 Oração - Dia de Ação de Graças
Dezembro
Felicidade
 Semana de jogos, exposição " Alegria: Cor, Arte e Poesia".




mutirão - divulgação do projeto "Cultive a paz... diga não ao Bullying"

A BRANCA DE NEVE E OS SETE ANÕES
Branca de Neve e os Sete Anões é um clássico da Literatura Infantil que encanta pela riqueza dos personagens e pelas emoções que desperta em quem ouve a vaidosa madrasta disposta a tudo para conatinuar a mais bela, a fala meiga e doce da boa Branca de Neve e ainda, a simpliciade e inocência dos Sete Anões.
A história chama atenção ainda, pela relação que podemos fazer com o que acontece hoje e há algum tempo na escola: a segregação pela ddiferença. A mesma diferença que aparece com encanto na história, marcando singularmente cada anão e cada personagem e dando nome ao Atchim, o mais doentinho, alérgico, coitado!  - ao Zangado, o mais brabo, ao Dengoso, o mais tímido e envergonhado, ao Soneca, o mais dorminhoco, ao feliz, o mais alegre, ao Mestre, o mais esperto e inteligente e ao Dunga, o que não fala, aparece na sala de aula como motivo para a prática de um tipo de violência conhecida como Bullying. E muitas crianças, porque são mais quietas, mais pobres, mais estudiosas, mais falantes, ou porque usam óculos ou porque têm alguma diferença física, sofrem com apelidos inconvenientes, perseguições, gozações que constrangem e à semelhança dos anões do conto "A Branca de Neve" são isolados dentro do espaço escolar a que também têm direito.
A apresentação desta peça de teatro teve o intento de fazer-nos pensar neste contexto e nesta realidade que se instala na escola e diz respeito a todos enquanto pais, professores, funcionários e alunos.


"AQUI COMBATEMOS O BULLYING"!


POEMA DA PAZ


Madre Tereza de Calcutá
O dia mais belo? Hoje.
A distração mais bela? O trabalho.
Os melhores professores? As crianças.
A primeira necessidade? Comunicar-se.
O que mais lhe faz felizSer útil aos demais..
O presente mais belo? O perdão.
A rota mais rápida? O caminho certo.
A sensação mais agradável? A paz interior.
A proteção efetiva? O sorriso.
O melhor remédio? O otimismo.
A maior satisfação? O dever cumprido.
A força mais potente do mundo? A fé.
As pessoas mais necessárias? Os pais.
A mais bela de todas as coisas? O amor.

O que a Escola deve fazer para combater o Bullying?


* Oportunizar momentos de reflexão para alunos, professores, funcionários e pais.
 * Reunir grupos de alunos com a Supervisão e Orientação Escolar para discutir o assunto a partir de músicas, notícias, textos, filmes. 

* Mobilizando os alunos em torno de propostas de leitura e teatro.

Coordenação do Projeto 
Equipe Diretiva/ Gestora

Grupo de Trabalho
 Pais, professores, alunos, direção e funcionários.

 Objetivo do Projeto Diga Não ao Bullying
  Envolver a comunidade escolar no diagnóstico e na implantação de ações de redução do comportamento agressivo, intimidante e discriminatório, causador desequilíbrio na relação de poder entre estudantes, a fim de atender ao direito de toda criança e adolescente desenvolverem-se em um ambiente seguro e salutar, promovendo a cultura da paz, o respeito à dignidade humana e a valorização das diferenças.

 Para saber mais sobre o Fenômeno Bullying
 !  Leia os livros: “As crianças aprendem o que vivenciam” de Dorothy Laio Nolte e Rachel Harris; “Diga não ao Bullying” de A. A. Lopes Neto e “E se fosse com você” de Sandra Saruê.
!   Veja os filmes “Bang-bang, você morreu!” e Escritores da Liberdade


 Escrito por Professores da Escola CAIC


PROJETO ANTI BULLYING

O termo BULLYING compreende todas as formas de atitudes agressivas, intencionais e repetidas, que ocorrem sem motivação evidente, adotadas por um ou mais estudantes contra outro(s), causando dor e angústia, e executadas dentro de uma relação desigual de poder. Portanto, os atos repetidos entre iguais (estudantes) e o desequilíbrio de poder são as características essenciais, que tornam possível a intimidação da vítima.


Por não existir uma palavra na língua portuguesa capaz de expressar todas as situações de BULLYING possíveis, o quadro, a seguir, relaciona algumas ações que podem estar presentes:
Colocar apelidos
Ofender
Zoar
Gozar
Encarnar
Sacanear
Humilhar 
Fazer sofrer
Discriminar
Excluir
Isolar
Ignorar
Intimidar
Perseguir
Assediar
Aterrorizar
Amedrontar
Tiranizar
Dominar







TEXTOS CITADOS:

Agredir Bater
Chutar
Empurrar
Ferir
Roubar
Quebrar pertences

Cavaleiro do Amor



Um dia, numa praça, um jovem exibia seu coração, o mais bonito daquela cidade. Uma grande multidão se aproximou e admirou aquele coração, pois era perfeito. Não havia nele um único sinal que lhe prejudicasse a beleza. Todos reconheceram que realmente era o coração mais bonito que já haviam visto. O jovem estava vaidoso e o ostentava com crescente orgulho.
De repente um velho homem, montado num cavalo, surgiu do meio da multidão, desceu ao chão e bradou: "Seu coração nem de longe é tão bonito quanto o meu !"
O jovem e a multidão olharam para o coração do velho homem: Batia fortemente, mas era cheio de cicatrizes. Havia lugares onde faltavam pedaços e também partes com enxertos que não se encaixavam bem, que tinham as laterais ressaltadas.
A multidão se espantou:
"Como pode ele dizer que seu coração é mais bonito?"
O jovem olhou para o coração do velho homem e disse, rindo:
"O senhor deve estar brincando! Compare seu coração com o meu e veja. O meu é perfeito e o seu é uma confusão de cicatrizes e emendas !" "Sim", disse o velho homem.
"O seu tem aparência perfeita mas eu nunca trocaria o meu por ele. As marcas representam pessoas a quem dei o meu amor. Eu arranquei pedaços do meu coração e dei a elas e, muitas vezes, elas me deram pedaços de seus corações para colocar nos espaços deixados; como esses pedaços não eram de tamanho exato, hoje parecem enxertos feios e grosseiros, mas eu os conservo como lembranças de amor que dividimos.
Algumas vezes eu dei pedaços do meu coração e as pessoas que os receberam não me deram em retorno pedaços de seus corações: esses são os buracos que você vê.
Dar amor é arriscar. Embora esses buracos doam, eles permanecem abertos lembrando-me do que tenho por aquelas pessoas, e eu tenho esperança de que um dia elas me dêem retorno e preencham os espaços que ficaram vazios. Agora você consegue ver o que é beleza de verdade?"
O jovem ficou em silêncio, com lágrimas rolando por suas faces. Caminhou em direção do velho homem, olhou para o próprio coração e arrancou um pedaço, oferecendo-o com as mãos trêmulas.
O homem pegou aquele pedaço, colocou no coração e tirando um outro pedaço do seu, colocou-o no espaço deixado no coração do jovem.
Coube, mas não perfeitamente, já que havia irregulares beiradas. O jovem olhou para o seu antes tão perfeito coração. Já não tão perfeito depois disso, mas muito mais bonito do que sempre fora, já que o amor do velho homem entrara nele.
Diante da multidão que os observava em respeitoso silêncio, eles se abraçaram e saíram andando lado a lado, seguidos pelo cavalo, cujas patas batendo no solo emitiam o som de corações pulsando ...
Como é o seu coração ?
"Há três tipos de pessoas que têm sorte na vida: as que querem, as que perseveram e as que sabem amar de verdade".
COMO É O SEU CORAÇÃO?
**Silvia Schmidt**



Aquilo

Esse conto de Ricardo Azevedo é muito interessante pra trabalhar com:

O respeito aos diferentes pontos de vista;
A importância de consensos
Relação da linguagem verbal e a não-verbal
O professor pode dividir a sala em grupos e entregar o texto "Aquilo"
Pedir aos alunos para refletir a respeito de quem é aquilo?O que aquilo faz? De onde aquilo veio? etc
Pode pedir para representar aquilo através de imagens. E a partir daí trabalhar a linguagem não-verbal.


AQUILO
Quando aquilo apareceu na cidade, teve gente que levou um susto.
Teve gente que caiu na risada.
Teve gente que tremeu de medo.
E gente que achou uma delícia.
E gente arrancando os cabelos.
E gente soltando rojões.
E gente mordendo a língua, perdendo o sono, gritando viva, roendo as unhas, batendo palma, fugindo apavorada e ainda gente ficando muito, muito, muito feliz.
Uns tinham certeza de que aquilo não podia ser de jeito nenhum.
Outros também tinham certeza. Disseram: — Viva! Que bom! Até que enfim!
Muitos ficaram preocupados. Exigiram que aquilo fosse proibido. Garantiram que aquilo era impossível. Que aquilo era errado. Que aquilo podia ser muito perigoso.
Outros, tranqüilos, festejaram, deram risada, comemoraram e, abraçados, saíram pelas ruas, cantando e dançando felizes da vida.
Alguns, inconformados, resolveram perseguir aquilo. Disseram que aquilo não valia nada. Disseram que era preciso acabar logo com aquilo ou, pelo menos, pegar e mandar aquilo para bem longe.
Muitos defenderam e elogiaram aquilo. Juraram que aquilo era bom. Que aquilo ia ser melhor para todos. Que esperavam aquilo faz tempo. Que aquilo era importante, bonito e precioso.
Alguém decidiu acabar com aquilo de qualquer jeito.
Mas outro alguém disse não!
E foi correndo esconder aquilo devagarinho no fundo do coração.

(Ricardo Azevedo)

PROBLEMAS DO MUNDO

O mundo está repleto de ouro.
Ouro no solo. Ouro no mar. Ouro nos cofres.
Mas o ouro não resolve o problema da miséria.
O mundo está repleto de espaço.
Espaço nos continentes. Espaço nas cidades. Espaço nos campos.
Mas o espaço não resolve o problema da cobiça.
O mundo está repleto de cultura.
Cultura no ensino. Cultura na técnica. Cultura na opinião.
Mas a cultura da inteligência não resolve o problema do egoísmo.
O mundo está repleto de teorias.
Teorias na ciência. Teorias nas escolas filosóficas. Teorias nas religiões.
Mas as teorias não resolvem o problema do desespero.
O mundo está repleto de organizações.
Organizações administrativas. Organizações econômicas. Organizações sociais.
Mas as organizações não resolvem o problema do crime.
Para extinguir a chaga da ignorância, que acalenta a miséria; para dissipar a sombra da cobiça, que gera a ilusão; para exterminar o monstro do egoísmo, que promove a guerra; para anular o verme do desespero, que promove a loucura, e para remover o charco do crime, que carreia o infortúnio, o único remédio eficiente é o Evangelho de Jesus no coração humano.
Sejamos, assim, valorosos, estendendo a Doutrina Espírita que o desentranha da letra, na construção da Humanidade Nova, irradiando a influência e a inspiração do Divino Mestre, pela emoção e pela idéia, pela diretriz e pela conduta, pela palavra e pelo exemplo e, parafraseando o conceito inolvidável de Allan Kardec, em torno da caridade, proclamemos aos problemas do mundo: "Fora do Cristo não há solução."








Dados da Aula

O que o aluno poderá aprender com esta aula
Conceituar o Bullying: o que é, suas causas e consequências, como ocorrem e o que fazer frente a isso;
Abordar o Bullying contra a pessoa com deficiência;
Discutir sobre a importância de respeitar e valorizar as diferenças uns dos outros, de forma que ninguém seja vítima de Bullying no contexto escolar.
Duração das atividades
Aproximadamente 100 minutos, duas (2) aulas.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
Não há necessidades que conhecimentos prévios sejam trabalhados pelo professor com os alunos para esta aula.
Estratégias e recursos da aula
As estratégias utilizadas serão:
• Aula interativa;
• Sala de vídeo.
• Utilização do laboratório de Informática.   
Motivação:   
Para iniciar a aula, sugerimos que o professor apresente aos alunos as letras (Fig. 1) - impressas no papel ou confeccionadas com cartolina ou EVA (Etil Vinil Acetato),e peça para eles prestarem atenção nas letras e tentarem descobrir a palavra que elas formam.                           
Figura 1: Letras   
Fonte: Do Autor
Sugestão: 
O professor poderá imprimir as figuras e disponibilizá-las para cada dupla, ou poderá fazê-las utilizando EVA – Etil Vinil Acetato- e levá-las para os alunos realizarem a atividade.   
Descoberta a palavra pelas duplas, o professor deverá dizer que é sobre de o “Bullying e a violência contra a pessoa com deficiência” o tema das aulas.     
Em seguida, o professor poderá perguntar aos alunos se eles sabem o que Bullying, o que pensam disso etc.   Após ouvir as opiniões dos alunos, as próximas atividades poderão ser desenvolvidas.   
Atividade 1 
Estando os alunos organizados em duplas  no laboratório de informática, o professor deverá mostrar para a turma a tirinha abaixo (Fig.2).     
Figura 2: Tirinha       
Sugestão
O professor deverá imprimir a tirinha e disponibilizar para cada dupla um exemplar da mesma, de forma a facilitar a realização da atividade.     
Finalizada a leitura da tirinha, o professor deverá, por meio do roteiro disponível abaixo, iniciar uma conversa sobre esta com os alunos.       
Roteiro de Discussão   
1.  O que vocês acharam da história contada na tirinha?
2.  Vocês acham que o Calvin e o Moe são amigos?
3.  O que vocês acham da forma com que Moe tratou o Calvin?
4.  O que vocês acham da forma com que Moe chamou Calvin – de burro?
5.  Atitudes como estas fazem bem ou mal para a pessoa que é alvo destas?
6.  Que nome poderíamos dar às ações de Moe contra o Calvin?   
Neste momento, o professor deverá estar atento para esclarecer dúvidas, conceitos errôneos ou preconceituosos que por acaso surjam.     
Atividade 2   
Dando prosseguimento à aula, o professor deverá apresentar aos alunos o vídeo “Matéria sobre Bullying nas escolas Rede Tv Cidade Nova Mutum”, com duração de 02 minutos e 34 segundos, conforme postado abaixo.   
Link do vídeo “Matéria sobre Bullying nas escolas Rede Tv Cidade Nova Mutum":
http://www.youtube.com/watch?v=cdEEKaJoN_I                                     
Figura 3: Imagem do vídeo sobre Bullying     
Sugestão:
O professor poderá gravar o vídeo em DVD e apresentá-lo para os alunos na Sala de Vídeo da escola, de forma que todos possam assisti-lo ao mesmo tempo.          
Após a apresentação do vídeo, o professor deverá iniciar uma discussão, em aula aberta, como todos da sala de aula. Para isso, sugerimos o roteiro abaixo.     
Roteiro de discussão.
1. Qual o principal assunto abordado no vídeo?
2. Que tipo de violência o vídeo busca combater nas escolas americanas?
3. Por meio do vídeo vocês conseguiram compreender o que é o Bullying?
4. O Bullying existe somente nos Estados Unidos ou em outros paises como, por exemplo, o Brasil?
5. Vocês acharam que o assunto da tirinha possui algo em comum com o vídeo? O que seria?
6. Quais os tipos de Bullying citados no vídeo?
7. Qual Bullying é praticado pelo personagem Moe da tirinha?
8. O Bullying pode proporcionar traumas - físicos, psicológicos e emocionais - na pessoa que é vítima dele?
9. No vídeo diversos professores estariam participando de palestras sobre Bullying. Vocês acham que aqui na escola há casos de Bullying? O que fazer para evitá-lo?      
Atividade 3
Neste momento, de forma a ampliar a compreensão e o conhecimento dos alunos acerca do Bullying, os alunos, em grupos de quatro integrantes (junção de duas duplas), deverão realizar uma pesquisa na Internet sobre este assunto. Para isto, cada dupla deverá escolher um dos temas disponíveis no roteiro abaixo.   
Temas para a pesquisa
1.   O que é Bullying.
2.   Quais os tipos de Bullying que existe e suas conseqüências.
3.   Em que locais sociais, comumente, ocorrem o Bullying.
4.   De que maneira os alunos se envolvem e praticam o Bullying.
5.   O Bullying é praticado, comumente, contra que tipo de pessoas e em que situações.
6.   Como ocorre o Bullying contra a pessoa com Deficiência.
7.  Quais são as conseqüências do Bullying no ambiente escolar.
8.  Quais são as conseqüências possíveis para os alvos de Bullying.
9. Quais são as conseqüências possíveis os autores de Bullying.
10. Quais são as conseqüências possíveis às testemunhas, as que nada fazem para conter o ato, do Bullying.
11. Como denunciar o Bullying e procurar ajuda contra este.
12. Formas de prevenção contra o Bullying.   
Observação 
No decorrer das pesquisas os alunos deverão localizar imagens para a elaboração de um mural a ser realizada posteriormente.     
Para o desenvolvimento das pesquisas, sugerimos os sites postados abaixo.
Sugestões de sites para a pesquisa   

     






Nenhum comentário:

Postar um comentário